É Outono, está a chover e há almoço de família em casa da avó Bravo.

O que me lembrei de fazer? Um bolinho, como diz a mãe Bravo! E porquê? Porque todos os dias são especiais, todos os dias temos algo para celebrar. (Vá, agora não se lembrem de celebrar sempre com bolos! Este é mesmo uma excepção.)

Chamei-lhe “bolo outonal” – como veem estou super inspirada (só que não). Pronto, “bolo outonal com um toque tropical”. O que acham?

Usei:

1. Para a massa

– 2 chávenas farinha (podem usar aquela mistura sem glúten auto-levedante)
– 3/4 chávena açúcar mascavado (é verdade, hoje arrisquei tudo)
– 1+1/4 chávena água de coco
– 1/3 chávena óleo de coco (aliás, arrisquei tudinho!)
– 1 colher de sopa de vinagre
– 1 colher de café de bicarbonato de sódio (para a massa crescer e ficar mais leve – podem não usar)
– 2 colheres de chá de fermento em pó (se usarem a tal farinha auto-levedante não precisam)

2. Para o recheio

– 250g mascarpone (ou ricota)
– 1 manga madura

3. Para a cobertura:

– 1 lata leite de coco
– q.b. fruta a gosto
– q.b. ervas a gosto
– q.b. flores (eu tinha por aqui e usei, os Bravo merecem o melhor!)

Como fiz:

1. A massa

Programei o forno a 180 graus.
Misturei todos os ingredientes e levei ao forno num tabuleiro forrado com papel vegetal. Cozinhou cerca de 25 minutos, basta fazer o teste do palito.
Deixei arrefecer.

2. O recheio

Descasquei a manga e transformei 3/4 em puré, que misturei com o mascarpone. A restante manga piquei finamente e envolvi no creme anterior.

Numa forma redonda de fundo amovível dispus, uma camada de bolo, por cima o creme de manga e a última camada ficou com o restante bolo.
Levei ao frigorífico até servir.

3. A cobertura

Bati o creme de coco até obter consistência de chantilly (deve estar no frigorífico).
Dispus este creme por cima do bolo, espalhando com a ajuda de uma espátula.
Decorei com physalis, hortelã, lascas de coco e flores.
Servi de imediato.

Que loucura de meditação na Cozinha com Coração! A ouvir mantras, a dançar e a beber água com pai de canela e hortelã. Tudo se torna mais simples e bonito quando o ingrediente principal é o Amor. Não acham?