Category

Alimentação e Nutrição

Category

Ora qui está mais um vox pop. Não há nada que goste mais do que comunicar, falar com pessoas, conhecer novas caras… que maravilha!

E com o regresso do S. João, este ano já desconfinado, a equipa do Canal Nutrição com Coração do Jornal de Noticias foi saber como será passada a noite dos portuenses e o que não pode faltar à mesa.

sugiro que vejam o vídeo completo no canal, clicando aqui.

Haja arraial e juízo – tudo na quantidade certa. Bailarico e muito amor!

Feliz S. João!

Como a diabetes é uma condição de saúde em que os níveis de açúcar no sangue se elevam, é muito fácil pensar que comer muito açúcar é a causa. Mas será assim?
O açúcar causa diabetes?

Antes de mais, interessa explicar que existem dois tipos principais de diabetes: tipo 1 e tipo 2.

O açúcar não causa diabetes tipo 1, na verdade este tipo também não é causado pelo estilo de vida. Neste tipo de diabetes as células produtoras de insulina (no pâncreas) são destruídas pelo sistema imunológico.

No que respeita à diabetes tipo 2, a resposta é um pouco mais complexa. Embora saibamos que o açúcar não a causa diretamente, é mais provável que a tenhamos se estivermos acima do peso. Ora ganhamos peso quando ingerimos mais calorias do que gastamos e todos sabemos que produtos alimentares e bebidas açucarados contêm muitas calorias.

Ainda assim, é improvável que o açúcar seja a única razão pela qual esta condição de saúde se desenvolve.

Um diabético controlado não precisa de cortar o açúcar da sua dieta.
Todos nós gostamos de comer alimentos açucarados ocasionalmente, e não há problema em incluí-los dessa forma, como parte de uma dieta saudável e equilibrada.

Tenhamos em consideração que no geral comemos muito açúcar de adição, não o existente naturalmente nos alimentos e assim prejudicamos a nossa saúde.

 

Assistam ao vídeo na íntegra clicando AQUI.

Metabolismo é todo o conjunto de reações que acontecem NO NOSSO CORPO numa célula/tecido.
Podem estar relacionadas com a geração de energia e nesse caso chama-se metabolismo energético.

O metabolismo basal é a energia que gastamos para manter as funções vitais.

Além de todos os sistemas de órgãos, há determinadas células e tecidos que são metabolicamente mais activos, como o músculo, ao contrário do adiposo q é quase inactivo.

Ou seja, se 2 pessoas com a mesma condição de saúde têm a mesma altura, o mesmo peso, o mesmo sexo e uma actividade semelhante (não pensando na influência genética), gasta mais energia, mesmo em repouso, a que tem mais massa muscular.

O gasto energético associado ao metabolismo é influenciado por:
– Carga genética
– Sexo
– Idade
– Altura
– Composição corporal

O exercício por si exige um metabolismo acrescido (além do metabolismo basal). Tal acontece também com o stress, a febre, etc.

Para além dos factores que afectam o metabolismo, há toda uma regulação do mesmo através de mecanismos de controlo hormonal e nervoso.

Faz sentido falar de alguns alimentos que podem dar uma pequenina ajuda no que respeita ao aumento do metabolismo. Os “termogénicos” mais efectivos são o café, o chá verde e a malagueta.

👀 Vejam o vídeo completo no Canal Nutrição com ❤️ do Jornal de Notícias – deixo o link:

https://www.jn.pt/artes/especial/videos/ana-bravo-esclarece-o-que-e-e-como-funciona-o-metabolismo-14571866.html

Não um “tem que ser” mas um “vou fazer com amor”.

Falava acerca de cozinhar, hoje, em directo, na conversa Público Ímpar . A Bárbara Wong reuniu convidados ligados à saúde para falar sobre as resoluções de ano novo.

O que eu acho? Que é preciso mudar comportamentos, antes de querer conhecer com rigor os nutrientes. Não faz sentido sermos reféns de regras alimentares mas sim, em primeiro lugar, sentir o acto de comer como um acto de amor.

O link para a conversa está no online do Público e eu deixo-o aqui:

https://www.publico.pt/aovivo/detalhe/ano-novo-vida-nova-338