Category

Receitas

Category
E eis que as ervilhas surgem, numa tarte bem repimpada, da Cozinha com Coração. E porquê? Porque adoro esta leguminosa, tantas vezes me esqueço dela e ontem vi-a no prato do “vizinho”.
Cá está a nossa receita, que de boa tem pouco, tem é muito – falta o “muito” – é muuuuuuuuuuuuuito boa!
A receita? É para já. Então sai uma tarte de ervilhas repimpada!
Deixo tudo, é direitinho, como faz quem percebe mesmo de cozinha (eu percebo 2, de 0 a 20).
Ingredientes (1 pessoa – na verdade podem sempre partilhar, mas as quantidades são propostas para 1 refeição):
– 50g polpa de abacate
– 100g farinha com fermento
– 1+1/2 c. sopa linhaça triturada
– 8 colheres de sopa de água fria
– 75g ervilhas congeladas
– 25g queijo ralado (podem usar a versão vegetal)
– 1 c. chá psyllium
– q.b. ervas frescas a gosto
– Programei o forno a 190 graus.
– Para preparar a massa, amassei a farinha com a polpa de abacate (caso seja necessário, pode juntar um pouco de água fria). A massa deve ficar macia e não se colar nas mãos.
– Depois de repousar 10 minutos, estiquei-a com um rolo e coloquei numa forma untada. Levei ao forno cerca de 10 minutos.
– Preparei o “ovo de linhaça” misturando a linhaça triturada com as 8 colheres de sopa de água. Deixei repousar 5 minutos.
– Entretanto preparei o recheio processando o “ovo de linhaça” com a salsa e as ervilhas e envolvendo depois o queijo ralado e o psyllium.
– Distribuí esta mistura sobre a massa e levei de novo ao forno até cozinhar (cerca de 20 minutos).
E ta tá!
Que tal, aprovam?
De que outros pratos gostam, com ervilhas?

Num sábado chuvoso sabe bem comida quentinha, caseira – e saudável, claro!

Deixo-vos a receita que a nossa Kiki preparou hoje:

—— Migas de bacalhau e agriões no forno ——

[uma confissão, a nossa Kiki  é óptima na cozinha mas não tem jeitinho para dar nome às suas receitas… podem ajudar-nos a dar outro nome, pleaaaaaase?]

Aqui fica a receita:

Ingredientes (1 pessoa)
– 1/2 lombo de bacalhau Riberalves
– 2 colheres de sobremesa de azeite
– 1 dente de alho
– 150g agriões de agriões
– 1/2 colher de café de paprika
– 1 folha de louro
– 1 fatia de broa
– q.b. azeitonas pretas
– q.b. salsa

– Num tacho coloca-se metade do azeite, o alho picado, a folha de louro e a paprika. Deixa-se cozinhar cerca de 2 minutos, em lume brando, e adiciona-se o bacalhau. Logo de seguida juntam-se os agriões.
– Deixa-se cozinhar até a maior parte do líquido evaporar.
– Programa-se o forno a 190 graus.
– Dispõe-se a mistura de bacalhau e agriões (tendo o cuidado de tirar a folha de louro) num recipiente de ir ao forno, polvilha-se com salsa picada e com a broa esmigalhada. Entram então algumas azeitonas para decorar e o restante azeite.
– Vai ao forno cerca de 15 minutos (ou até a broa tostar).

Pois é…
Deixei a receita principal para este dia tão especial!

BOLO REI VEGAN

Ingredientes (para partilhar com amor):

– 120ml bebida de amêndoa
– 14g fermento de padeiro vegan (desidratado)
– 100g tâmaras descaroçadas
– 1 laranja (sumo e raspa)
– 270g farinha de trigo
– 75g frutos secos (pode escolher entre passas, arandos, figos, ameixas, damascos…)
– 25g miolo amêndoa
– 50g miolo de noz

– Comecei por hidratar as tâmaras em água quente até amolecerem (demora 15 a 20 minutos).
– Misturei numa caneca metade da bebida de amêndoa morna com o fermento e uma colher de chá de farinha. Mexi bem e esperei cerca de 5 a 10 minutos.
– Escorri bem as tâmaras, adicionei a restante bebida de amêndoa e transformei-as em puré.
– Coloquei a farinha numa taça, à qual adicionei raspa de laranja, o fermento ativado, o puré de tâmaras e 100ml de sumo de laranja.
– Amassei bem até obter uma massa homogénea que não se cola às mãos (se for necessário, adicione um pouco mais de farinha) e deixei-a levedar num local quente e seco cerca de 1 hora (ou até duplicar de volume).
– Entretanto piquei os frutos desidratados (usei passas e damascos) e os oleaginosos.
– Depois da massa levedar, adicionei os frutos picados, formei o bolo rei e coloquei-o num tabuleiro forrado com papel vegetal – deixei levedar mais 30 minutos.
– A meio desse tempo, programei o forno a 180 graus.
– Pincelei o bolo com bebida vegetal e levei ao forno onde cozinhou cerca de 25 minutos (ou até estar cozido – deve ficar dourado).

Ficou fofo e mesmo mesmo bom.

Feliz Natal, meus amores.

Bom dia, hoje a provar as Rabanadas que a equipa do Canal Nutrição com Coração do Jornal De Noticias preparou, no forno.

Antes de mais, sugiro que vejam o vídeo completo, no Canal – deixo o link:

https://www.jn.pt/pessoas/especial/videos/rabanadas-no-forno-para-um-natal-mais-saudavel–15373666.html

Agora, a receita, claaaaaaaaro:

Para 4 pessoas ou 8 ou até mais se entrarem no espírito e partilharem:

– 8 fatias de pão (do dia anterior, com cerca 2cm espessura)
– 450ml bebida vegetal (ou leite)
– q.b. stevia
– 2 paus de canela
– 1 casca limão
– 1 manga madura
– q.b. hortelã e romã – a romã é opcional, fica linda no prato final!
– q.b. canela

Como preparámos?

– Levámos ao lume a bebida com os paus de canela e uma casca de limão e aguardámos – a cantarolar músicas de Natal e a dançar – até levantar fervura.
– Juntámos stevia a gosto e esperámos que ficasse morno – claro que continuámos o bailinho de Natal!
– Programámos o forno a 180 graus.
– Colocámos a bebida num prato fundo e mergulhámos as fatias de pão até todo o líquido ser absorvido.
– Levámos ao forno num tabuleiro forrado com papel vegetal, cerca de 35 minutos, ou até ficarem douradas.
– Entretanto, transformámos a manga em puré.
– Servimos as rabanadas mornas com o puré de manga a servir de cobertura (diz a Kiki que também usar abacaxi cortado em cubos pequenos), hortelã, bagos de romã e canela.

Eu acho que ficou liiiiiindo e – garanto – delicioso!
Aprovam?

Não fizemos uma, mas sim 2 receitas surpreendentes para brilhar mais neste Natal.

Há uns dias publiquei o “Sonho de Bacalhau” e hoje deixo-vos “Bacalhau em tons de Natal”. [O nome não é nada previsível, pois não? ]

Deixo a receita, que a Kiki preparou para (2 pessoas). Usou:

– 1 lombo de Bacalhau Riberalves
– 1 chávena de café de cuscuz
– 2 chávenas de café de água a ferver
– 1/2 limão pequeno
– 150g tomate cereja com rama
– 200g couves de bruxelas (cozidas)
– 2 colheres de sopa de azeite
– 1 dente de alho
– q.b. malagueta (opcional)
– q.b. tomilho

E explicou como preparou, passinho a passinho, assim:

– Programei o forno a 190 graus.
– Num tabuleiro dispus os tomates, as couves de bruxelas e o limão cortado em gomos. Temperei com alho e malagueta fatiados, tomilho seco (a gosto) e azeite.
– Levei ao forno cerca de 25 minutos (ou até os legumes estarem cozinhados).
– Entretanto, coloquei o lombo de bacalhau, ainda congelado, num tacho com água fria e levei ao lume. É verdade, não precisam de descongelar! Sai do congelador e entra em água fria. (Anotem esta dica.) Após levantar fervura cozinhou 10 minutos e retirei o bacalhau da água, escorrendo bem – e é assim que se cozinha o Bacalhau Riberalves como deve ser! Simples.
– Coloquei os cuscuz numa taça com uma casca de limão e o dobro da água a ferver (pode utilizar a água de cozer o bacalhau). Tapei com película transparente até toda a água ser absorvida.
– Servi os cuscuz com o bacalhau cozido e os legumes.
– Com um garfo espremi os gomos de limão assado, o sumo misturou-se com o azeite e o molho está pronto!

Aaaaaah! Só mais uma coisinha, um pormenor de classe: já viram que esta caixa de bacalhau era destinada à família Bravo? Vocês também podem encontrar, com nome da vossa família, a Riberalves pensa em tudo.

Booooooooooom dia, hoje com cheirinho a tangerina!

O Creme de Tangerina que eu e a Kiki partilhámos (a receita dá para 2 taças), tem estes ingredientes, tooooodos vegan:

– 1/2 L bebida vegetal
– 50ml sumo de tangerina
– 1 casca de tangerina
– 2 ou 3 sementes de cardamomo
– q.b. stevia
– 25 g de amido de milho
– 1 pau de canela
– q.b. canela em pó

A preparação foi cheia de carinho e na verdade foi a Kiki que fez. Deixo a receita como me está a ditar:

Coloquei num tacho a bebida vegetal, o sumo de tangerina, o amido de milho, stevia a gosto, sementes de cardamomo, um pau de canela e uma casca de tangerina.
Levei ao lume, mexendo sempre até ferver e engrossar.
Servi em taças polvilhado com canela e acompanhado de romã.
(Pode saborear morno ou frio.)

O que acham? Aprovamos o pequeno-almoço que a nossa Kiki escolheu?

📹 Joāo Lacerda