Category

Snacks

Category

Habitualmente consumidos como um snack, os tremoços também podem ser utilizados em algumas receitas.

O Canal Nutrição com Coração do Jornal de Notícias propõe estas bolachas crocantes de tremoços!

Assistam AQUI ao vídeo completo.

1 chávena de tremoços
1 colher de sopa de azeite
2 colheres de sopa de linhaça triturada
6 colheres de sopa de água
2 colheres de sopa de farinha de milho
qb orégãos

Programei o forno a 160 graus.
Hidratei a linhaça com a água durante 15 minutos.
Tirei a casca dos tremoços e triturei-os.
Misturei a linhaça hidratada, o azeite, orégãos a gosto e a farinha de milho aos tremoços triturados (a massa deve ficar maleável, se for preciso adicione água ou farinha de milho).
Estendi a massa com um rolo, sobre papel vegetal, cortei-a com uma faca e levei ao forno. Cozinharam cerca de 20 minutos (ou até as bordas começarem a ficar douradas).
Deixei arrefecer antes de servir.

E o hortícola que entra na confecção destas barritas/bolinhos é…
O nabo!

O sabor nem se sente, assim como o do feijão… A mistura fica tão agradável e macia… É muito difícil adivinhar os ingredientes mesmo quando se prova. Assim, para quem não aprecia nabo, eis uma sugestão para comer com vontade!

Barritas ou Bolinhos de feijão e nabo
(8 porções)

– 1+1/2 chávena de feijão vermelho cozido
– 1/3 chávena nabo ralado
– 1/2 chávena de aveia em flocos
– 1/4 chávena de stevia (ou a gosto)
– 3 colheres de sopa de sopa de azeite
– 1 colher de sopa de vinagre de maçã
– 2 colheres de sopa de cacau em pó
– 1/2 chávena de chocolate (+70% cacau) picado

Programei o forno a 180 graus.
Processei o feijão com o azeite, o cacau e a stevia. Envolvi os restantes ingredientes e transferi a massa para uma forma forrada com papel vegetal.
Levei ao forno onde cozeu cerca de 25 minutos (não deve cozer demais).

O que acham?

Nesta fase em que encontramos uma nova realidade também no que respeita ao trabalho, faz sentido repensar a alimentação. Falo do teletrabalho e das longas horas que permanecemos em casa. Há uma despensa que nos chama muitas vezes, um frigorífico que não para de olhar para nós, vem aquele “ratinho” que todos conhecemos pedir algo para trincar. Revêem-se nisto? Eu confesso, acontece-me muitas vezes.

Claramente estruturar um dia alimentar é fundamental, de forma a não comermos o que queremos, respondendo às vontades que vão surgindo. Perdemo-nos nesse petiscar e muitas vezes sucumbimos a tentações pouco interessantes sob o ponto de vista nutricional e com uma densidade calórica elevada. Ter consciência alimentar é uma ferramenta para a vida! 

Além de um pequeno-almoço completo e de refeições principais feitas a horas, também as merendas são muito importantes para o bom funcionamento do nosso sistema digestivo e também para podermos controlar a vontade de comer. Não as fazer leva muitas vezes ao descontrolo alimentar. Já sentiu que, se passar longas horas sem comer, fica com a sensação de que devoraria tudo? O tal ratinho, que aparece sem avisar…

Faz sentido prepararmo-nos para esses momentos em que queremos fazer uma pausa e trincar algo. Desde logo é inteligente não ter opções alimentares pouco interessantes em casa. O que podemos ter para esses momentos?

  • fruta
  • sementes maiores, como de girassol e/ou abóbora
  • frutos oleaginosos como amêndoas e avelãs (idealmente com pele, têm mais fibra e tornam-se mais saciantes, além de terem mais antioxidantes; cuidado com o valor calórico, são ricos em gordura – no geral um punhado será o indicado)
  • tremoços (preferencialmente bem lavados para tirar o excesso de sal)
  • tortilhas de milho ou de arroz (idealmente com baixo teor de sal)
  • flocos de milho (sem adição de açúcar)
  • iogurte natural com canela ou cacau

E agora a novidade: descobri os snacks de fruta semi-desidratada Truppi e fiquei fã. A fruta é tropical, biológica e deliciosa, e com a consistência e volume necessários para saciar o apetite: há de manga, ananás e pitaia. Às vezes, e em especial em tele-trabalho, não temos vontade ou oportunidade de descascar fruta e esta é uma opção prática para mantermos a nossa dieta rica numa das componentes mais importantes. Não é um substituto integral da fruta fresca, mas é nutricionalmente muito interessante e a solução mais próxima: trata-se de fruta biológica, apenas, sem nada adicionado, à qual foi apenas retirada uma parte da água. É diferente da fruta desidratada, sendo a desidratação apenas parcial, pelo que tem mais volume e também aroma, sabor e a tal textura muito diferentes. Mantém fibra e muitas das vitaminas e minerais. E acalmam o “ratinho”! Costumo encomendar online e as entregas são rápidas e os portes grátis


Truppi – https://www.truppi.pt/

Achavam que me esquecia de partilhar convosco o que fiz hoje?

Naaaaaaaaa!

Inventei e preparei PALITOS VEGAN PROTEICOS. Boa ideia, hein?

Então aqui fica a receita:

– 250g grão-de-bico cozido
– 1/2 limão (sumo)
– 2 colheres de sopa (rasas) de linhaça triturada
– 2 colheres de sopa de azeitonas pretas picadas
– q.b. salsa picada
– 1/2 colher de café noz moscada
– 1/2 colher de café de curcuma
– q.b. azeite

Num processador coloquei o grão-de-bico, a noz moscada, a curcuma e o sumo de limão. Processei até se formar uma massa. Transferi para uma taça e envolvi os restantes ingredientes (com excepção do azeite).
Programei o forno nos 180 graus e forrei um tabuleiro com papel vegetal.
Com a massa formei palitos que dispus no tabuleiro e levei ao forno cerca de 20 minutos.
Servi frios com azeite.

E, quererem saber?
São só – além de saudáveis – deliciosos de Coração️!

O que acham, vão experimentar?