Category

Almoço e Jantar

Category

Em Maio há muitos acontecimentos importantes, sendo que marca também o mês dos Celíacos.
Como nutricionista não podia deixar de partilhar um post como mote para consciencializar a comunidade não celíaca. É muito importante que cada vez mais pessoas conheçam a doença e até ajudar algumas a identificar e confirmar diagnóstico com o médico. É fundamental combater a desinformação sobre esta doença e ajudar os celíacos em Portugal e no mundo a serem mais ouvidos e mais respeitados.

Têm questões sobre a doença celíaca?
Simplificando: nela, as pessoas não podem estar em contacto com o glúten, uma mistura proteica que existe no trigo, no centeio e na cevada (assim como em todos os produtos que os contêm e já agora o seitan é feito de glúten).

Deixo espaço para questões nas mensagens e têm sempre a Associação Portuguesa de Celíacos (APC) , que tem feito um trabalho digno de enaltecer.

E agora não podia faltar uma receita sem glúten, deliciosa, saudável, colorida… e esta é também vegetariana. já agora, para ajudar, podem encontrar outras no blog Nutrição com Coração.

Rolo vegetariano sem glúten

Ingredientes (3 pessoas):
– 3/4 chávena soja em grânulos
– 2 colheres de sopa de azeite
– 1 dente de alho
– 1/2 cebola
– 1 cenoura
– 1 batata média
– 2 chávenas de grelos cozidos
– 2 colheres de sopa de farinha de milho (ou outra, sem glúten)
– 1 colheres de chá de noz moscada
– 1/2 colheres de chá de curcuma (opcional)
– q.b. salsa picada

Programei o forno a 180 graus.
Comecei por hidratar a soja durante 15 minutos e mais tarde escorri-a muito bem.
Num tacho coloquei o azeite, a noz moscada e a curcuma. Levei ao lume e assim que a cebola ficou translúcida adicionei o alho, a batata ralada e a cenoura.
Cozinhou alguns minutos em lume brando e então juntei a soja e os grelos.
Deixei cozinhar até ficar a gosto (adicionei um pouco de água quente).
Envolvi a farinha e a salsa e transferi o preparado para uma folha de papel vegetal. Formei um rolo, que levei ao forno cerca de 30 minutos.
Servi ainda quente com salada.

 

 

Mais uma receita em que não acrescentei sal, mas garanto que está bem temperada!

Já experimentaram salicórnia?

Esta receita serve duas pessoas.

150g feijoca cozida

1 tomate picado

1/4 pimento vermelho em pedaços

100g espinafres

1 cenoura pequena

1/4 curgete em cubos

1 colher de sopa de azeite

1/2 cebola

1 dente de alho

1 folha de louro

2 colheres de chá salicórnia 100%

 

Num tacho levei ao lume o azeite com a cebola, o pimento, o louro e o alho.

Quando a cebola ficou translúcida juntei a curgete, a cenoura em pedaços e o tomate.

Adicionei um pouco de salicórnia, água e deixei cozinhar até a cenoura estar quase pronta. Nessa altura adicionei a feijoca e os espinafres. Cozinhou até os espinafres ficarem prontos.

Na hora de servir adicionei um pouco mais de salicórnia.

Hoje a receita é da nossa Kiki: um prato bem colorido de Bacalhau Riberalves!

A receita?
A Kiki dá.

O nome?
Diz que vocês ajudam a dar.

Ingredientes (2 unidades):
– 200g bacalhau desfiado
– 1 colher de sopa de azeite
– 1/2 cebola picada
– 1 dente de alho picado
– 1/2 colher de chá de paprika
– q.b. salsa picada
– 1/2 curgete
– 1 cenoura
– 1 batata média
– 1 colher de chá de ervas secas a gosto
– 1 colher de sopa de farinha espelta

Descongelei o bacalhau.
Programei o forno a 180 graus.
Num tacho coloquei o azeite, a cebola e a paprika. Levei ao lume e logo que a cebola ficou translúcida, juntei o alho e o bacalhau. Deixei cozinhar e antes de desligar, envolvi a salsa picada. Reservei.
Descasquei a batata e a cenoura e ralei-as, assim como a curgete (esta com a casca), depois de bem lavadas. Misturei com ervas secas e com a farinha.
Dispus em ramequins: uma camada de mistura de legumes ralados, por cima o bacalhau e a seguir, mais uma camada de legumes ralados.
Levei ao forno onde cozinharam cerca de 30 minutos.

Ora já cá faltava uma receita da mãe Bravo! Desta vez protagonizou um episódio do Canal Nutrição com Coração do Jornal de Notícias .

O que é? É um dos meus pratos preferidos, ou não tivesse leguminosas – vocês também gostam muito de feijão?

Chili, vegetariano, claro!

Deixo a receita, ora sim senhora.
E já agora deixo o link para o vídeo completo, que está no Canal.

Aqui fica, meus amores. A mãe Bravo está a obrigar-me a escrever que tem que apurar para ficar saboroso. (É muito convincente, esta mãe: “vá, escreve lá e amanhã faço-te um arrozinho malandro daqueles de que gostas tanto”. Como resistir?)

Ingredientes (2 pessoas):
– 1 colher sopa de azeite
– 1 cebola
– 1 dente de alho
– 1 folha de louro
– 1/2 tomate
– q.b. pimentos
– q.b. piri-piri (opcional)
– 200g feijão vermelho (cozido)
– 1 cenoura em rodelas

Coloquei num tacho o azeite, a cebola picada, o piri-piri e o louro.
Levei ao lume e assim que a cebola ficou translúcida, adicionei o alho picado, o tomate e a cenoura cortados.
Deixei cozinhar alguns minutos, em lume brando (junte água quente aos poucos sempre que necessário).
De seguida, juntei o feijão e, pouco antes de desligar, os pimentos cortados em tiras.

O que acham? Eu delicio-me com chilli!

👀 https://www.jn.pt/artes/especial/videos/ana-bravo-prepara-um-dos-seus-pratos-favoritos-inspirada-na-receita-da-mae-14683813.html

E as cores deste prato?

Celebram a Primavera que já chegou e veio a calhar com o tempo quente deste fim-de-semana.

Ingredientes (1 pessoa):
– 1/2 lombo de Bacalhau Riberalves
– 1 colher de sobremesa de azeite
– 2 dentes de alho
– 2 colheres de sopa de pimento vermelho picado
– 1 taça tomate cereja
– 1 chávena de ervilhas (usei congeladas)
– 1 colher de sopa de sementes de sésamo
– q.b. sumo de limão
– q.b. salsa

Descongela-se o bacalhau.
Programa-se o forno a 180 graus.
Coloca-se o bacalhau num tabuleiro com os tomates cereja, o pimento, um dente de alho cortado em rodelas e o azeite.
Leva-se ao forno cerca de 20 minutos (ou até estar a gosto).
Entretanto, processam-se as ervilhas com o outro dente de alho, as sementes de sésamo e sumo de limão (pode adicionar água para ajustar a consistência).
Serve-se o húmus de ervilhas com o bacalhau e os legumes, polvilhados com salsa picada.

E que tal, aprovam este prato cheio de cor?

A mãe Bravo não falha, eis a receita  exactamente como me ditou:

“Cebola, louro, alho… Ana, escreve: bastante cebola às rodelas: uma camada. Mais uma camada de batatas, também às rodelas, depois uma de tomate fresco partidinho aos cubinhos. [Dois “inhos” na mesma frase, que maravilha!] Entra o tofu esfarelado, outra camada de cebola e outra de batata. Quem gostar pode pôr pimentos de várias cores. Rega-se bem com azeite [agora já diz esta parte sem falar mais baixinho, só me olha com aquele ar de mãe reguila com olhos de amor] e deixa-se cozinhar lentamente, agitando o tacho para não pegar. Quando começar a ferver passar para o mínimo é cozinha sempre assim, em lume brando.”

É um amor esta mãe Bravo e a sua cozinha saudável e feliz, não é?