Category

Almoço e Jantar

Category

Já sabem que gosto de receitas simples, saudáveis e saborosas. Nesta receita usei quinoa mas, se não tiverem ou não apreciarem podem substituir por arroz ou cuscuz.

Bacalhau com hortelã (2 pessoas)
180g bacalhau desfiado Riberalves
6 colheres de sopa de quinoa cozida
q.b. hortelã picada
1 colher de sopa de azeite
1/2 cebola picada
1 dente de alho picado
1 colher de sopa de pimento vermelho picado
1 cenoura ralada
1 fatia de queijo magro ralado

Programei o forno a 190 graus.
Coloquei num tacho o azeite, a cebola, o alho e o pimento. Levei ao lume e, assim que a cebola ficou translúcida, adicionei o bacalhau e a cenoura.
Cozinhou alguns minutos em lume brando e transferi para uma taça.
Depois de arrefecer ligeiramente envolvi a quinoa, a hortelã e o queijo ralado.
Distribuí a mistura por 2 ramequins e levei ao forno até tostar em cima (cerca de 15 minutos).
Servi quente.

Adoro grãomeletes! Vocês gostam? Acho tão interessante esta forma que a cozinha vegetariana/vegan adoptou para “substituir” a omelete. Nutricionalmente não é exactamente igual, é verdade, mas é muito interessante ter uma base proteica, também com hidratos de carbono. Para equilibrar a refeição principal só falta juntar os legumes e dar aquele toque especial com salicórnia.

Pois foi o que fizemos, eu e a minha Kiki, para o nosso almoço.

Usámos, para cada uma:
– 1 chávena de grão-de-bico cozido
– 3/4 da mesma chávena, de água
– qb temperos a gosto (usei ervas secas)
– qb legumes a gosto para servir

O grão-de-bico e a água foram formar uma massa homogénea num liquidificador. Temperámos com ervas.
Cozinhámos numa frigideira antiaderente, para não usarmos gordura.
Servimos com legumes cozinhados com alho e azeite no wok.

Só para que conste, comi a minha e umas garfadas da da Kiki.

Preparar receitas saudáveis cheias de sabor é possível. Para substituir o sal, porque não usar salicórnia?

Já provaram?

Ensopado de legumes (2 pessoas)
2 fatias de pão
1 colher de sopa de azeite
1 colher de sopa de pimento vermelho picado
1 dente de alho
1 cenoura
1 curgete
1/2 folha de louro
1 colher de chá de salicórnia
q.b. água

Coloquei num tacho o azeite com o louro, o pimento vermelho e o alho laminado. Levei ao lume e adicionei a salicórnia, a cenoura cortada em rodelas e a curgete cortada em pedaços. Juntei água quente suficiente para cobrir todos os legumes.
Quando os legumes estavam quase cozinhados, tostei as duas de pão.
Prove e, se achar necessário, deite um pouco mais de salicórnia antes de desligar.
Servi com o pão.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Com dias a ficarem mais frios, a comida de aconchego já começa a saber bem!

Aqui fica uma sugestão simples mas e deliciosa.

Brás rico (2 pessoas)
200g bacalhau desfiado Riberalves
2 batatas (tamanho de 1 ovo)
1 cenoura
1/2 cebola
1 dente de alho picado
1/2 colher de chá de ervas secas a gosto
q.b. salsa picada
1/2 chávena bebida vegetal (ou leite)
1 colher de sopa de azeite

Programei o forno a 190 graus.
Coloquei o azeite num tacho com a cebola picada, o alho e as ervas secas.
Levei ao lume e, logo que a cebola ficou translúcida, adicionei o bacalhau seguido da cenoura e da batata raladas e da salsa.
Cozinhou em lume brando (adicione bebida vegetal ou leite aos poucos, sempre que necessário).
A mistura deve ficar cremosa, depois de cozinhar cerca de 10 minutos.
Transferi o preparado para um recipiente de ir ao forno, onde cozinhou cerca de 20 minutos (até ficar dourado).
Servi quente.

Olá!

Como sabem há muitas maneiras de diminuir a adição de sal quando cozinhamos.

Se costumam seguir as minhas receitas sabem que a salicórnia é uma excelente opção.

Caldeirada de tofu (2 pessoas)

200g tofu
2 batatas médias (do tamanho de 1 ovo)
1/2 curgete
1 tomate
q.b. pimentos
1 cebola
1 dente de alho
1 colher de sopa de azeite
1 colher de chá de paprika
1 folha de louro
1 colher de chá de Salicórnia 100%
q.b. salsa picada

Coloquei num tacho a cebola cortada em meias luas, o alho picado, o louro, o tomate cortado às rodelas e os pimentos cortados em tiras (usei vermelho, verde e amarelo).
De seguida dispus a curgete e as batatas cortadas em rodelas (não muito finas) e o tofu que cortei em cubos pequenos.
Sobre o preparado coloquei o azeite e polvilhei com a paprika e com a salicórnia.
Levei ao lume, sempre brando, mantendo o tacho com a tampa durante pelo menos 25 minutos (pode abanar um pouco o tacho de vez em quando).
No final desse tempo, conferi se as batatas estavam cozidas.
Servi de imediato polvilhado com salsa.
Envolva com cuidado antes de servir e, se achar necessário, já no prato dê um toque final de salicórnia.

As receitas da mãe Bravo têm cada vez mais sucesso, ou não fossem preparadas com tanto amor!

Pedi esta com jeitinho e a mãe descreveu-a, com aquele olhar cheio de ternura, exactamente assim:

Primeiro cortam-se as batatas às rodelas e reservam-se num tabuleiro de ir ao forno.

Ah, Ana, para o passo seguinte usa-se bastante cebola picadinha, mas escreve mesmo “pi ca di nha” – soletrou e eu, claro, obedeci e escrevi. E continuou: depois o alho picadinho, louro e salsa.

Então esfarela-se tofu e junta-se ao mesmo tabuleiro das batatas.

Tens que escrever assim, agora: “nota: leva bastante cebola, picadinha”. [Eu escrevi, embora já tivesse dito entendi o protagonismo da cebola e dos inhos e não quis deixar de repetir, ou não fosse estragar o assado.]

Numa taça junta-se a cebola, o alho, a salsa também picadinha, um pouco de água quente e azeite – eu ponho a olho. Assim fica preparado um molho bom.

Junta-se este molho à assadeira e vai ao forno.

E pronto, entre inhos e beijinhos, cá temos mais uma receita vegan da mãe linda.

Parece-vos bem?