Category

Almoço e Jantar

Category

 Arroz de tomate malandrinho como a Bravo.

Ops! Perdão. A legenda certa é: arroz de tomate malandrinho à Bravo.

A receita é da mãe Bravo e como o vosso pedido é uma ordem, aqui fica:

“Cebolinha picadinha”, diz a mãe. “Com um dente de alho esmagado e azeite.” Entram em conjunto no tacho e mantém-se em lume brando até que a cebola fique ligeiramente translúcida. “Um dos segredos para obter um melhor sabor é usar tomate coração de boi”, diz a princesa com ar de professora. De seguida explica que se tira a pele e corta aos cubinhos para se juntar ao tacho. “Dá-se uma mexedela e põe-se a tampa.” “Ana, deixa-me dizer-te uma coisa: o lume mantém-se brando até o tomate ficar quase em puré, mas quando entram a água quente e logo a seguir o arroz, o lume passa a bem forte.” Sempre me ensinou assim: arroz seco prepara-se em lume brando, o malandrinho em lume mais alto. A mãe usa 3,5 vezes mais água do que arroz e escolhe o arroz carolino. “Rectificam-se os temperos e eu uso um raminho de salsa no final”.

Adoro o jeitinho entre o envergonhado e o orgulho por perceber que as pessoas gostam tanto da sua comidinha como eu. No final disse “e agora vais escrever assim no Instagram? Não se percebe, eu faço tudo a olho!” É fofa ou não é?

Hoje não podia falar uma receita com abóbora, ceeeeeeerto?

Bacalhau com puré de abóbora

Ingredientes (1 pessoa):
– 120g lombo de bacalhau Riberalves
– 1 colher de sobremesa de azeite
– 1 dente de alho laminado
– 1/3 cebola em rodelas
– 1 chávena tomate cereja
– 200g abóbora
– 100g couve flor
– q.b. temperos a gosto

Descongelei o bacalhau.
Programei o forno a 180 graus.
Num tabuleiro coloquei a cebola, o alho, o bacalhau e os tomates cereja. Por cima, o azeite e tomilho.
Levei ao forno cerca de 30 minutos (ou até estar cozinhado a gosto).
Entretanto levei ao lume, num tacho com o mínimo de água possível, a abóbora e a couve flor. Assim que a couve flor ficou pronta, transformei em puré, com a varinha mágica e temperei com noz moscada.
Servi quente.

Temos então 2 quiches diferentes, deixo a receita e composição nutricional de ambas:

QUICHE 1 (Iogurte e Massa de pão)

Ingredientes (2 porções):
– 130g massa de pão (comprei na padaria)
– 150 ml iogurte natural
– 1 ovo L
– 1 colher de sobremesa de azeite
– 50g cebola roxa
– 35g cenoura
– 50g espinafres
– q.b. temperos a gosto (usei noz moscada e salsa seca)

Programei o forno a 180 graus.
Num wok coloquei o azeite, os temperos e a cebola cortada em meias luas. Logo de seguida juntei a cenoura cortada em rodelas finas. Deixei cozinhar em lume brando até a cebola amolecer e, antes de desligar, envolvi os espinafres e deixei arrefecer.
Estendi a massa com um rolo e coloquei-a numa forma.
Entretanto, bati o ovo com o iogurte e transferi este preparado para a forma com a massa. Por cima dispus o recheio e levei ao forno cerca de 30 minutos (ou até cozinhar).

23,9g proteínas
16,4g gorduras
68,3g hidratos de carbono
516,4 kcal

QUICHE 2 (Natas e Massa folhada)

Ingredientes (2 porções)
– 110g massa folhada (de compra)
– 150 ml natas
– 1 ovo L
– 1 colher de sobremesa de azeite
– 50g cebola roxa
– 35g cenoura
– 50g espinafres
– q.b. temperos a gosto (usei noz moscada e salsa seca)

Programei o forno a 180 graus.
Num wok coloquei o azeite, os temperos e a cebola cortada em meias luas. Logo de seguida juntei a cenoura cortada em rodelas finas. Deixei cozinhar em lume brando até a cebola amolecer e, antes de desligar, envolvi os espinafres e deixei arrefecer.
Forrei uma forma com a massa folhada, fiz pequenos furos com um garfo.
Entretanto, bati o ovo com as natas e transferi este preparado para a massa folhada. Por cima dispus o recheio e levei ao forno cerca de 30 minutos (ou até cozinhar).

19,6g proteínas
66,8g gorduras
50,8g hidratos de carbono
882,8kcal

Há também a opção de preparar quiche sem massa, têm várias receitas aqui blog.

E agora, qual escolhem se vos disser que ambas são deliciosas?

(Imagem da esquerda – quiche com natas e massa folhada; Imagem do lado direito – quiche com iogurte e massa de pão).

Hoje não parei um minuto. Reuniões, consultas, gravações, almoço bom com a minha Paulinha e voltei ao início. No final do dia o que apetecia? Comidinha caseira! Daquela a que chamo #daudávelefeliz , vocês já sabem do que falo…

Soube tão bem, que não podia deixar de partilhar a receita convosco!

Ingredientes (1 pessoa):
– 60g esparguete
– 3 colher de sopa de grão-de-bico cozido
– 1 colher de sopa de polpa de tomate
– 1 colher de café de paprika
– 1 colher de chá de salsa seca
– 1 colher de sopa de azeite
– 1 dente de alho picado
– 1/3 cebola picada
– 1/2 tomate picado
– 60g espinafres

Num tacho coloquei o azeite, a paprika, a salsa, o alho e a cebola. Levei ao lume, sempre brando até a cebola amolecer. Nesse momento adicionei o tomate e a polpa de tomate e deixei cozinhar mais alguns momentos.
Então envolvi o esparguete (que cozi conforme as indicações da embalagem) e o grão-de-bico (pode adicionar um pouco de água quente, se for necessário). Após um ou dois minutos misturei os espinafres e desliguei. Servi de imediato.

Aprovam esta receita?

Aqui fica a receita tão simples da “esmagada” da avó Julieta. Um prato preparado em dois passos, que traz memórias felizes e aconchega a alma.

Podem ver o vídeo completo no Canal Nutrição com Coração do Jornal de Notícias e a receita escrita fica aqui:

Ingredientes:
– 3 ou 4 batatas
– 1/2 couve
– 1 colher de sopa de azeite
– 1 colher de sobremesa de vinagre

Cozem-se as couves juntamente com as batatas, escorrem-se bem e esmagam-se, adicionando azeite e vinagre e mexendo com amor!