Tag

sem glúten

Browsing

Boooooooom dia, alegria!

Para ninguém ficar zangado não são scones nem são almôndegas, são:

– Bolinhos de curgete e azeitonas –

NÃO TÊM GLÚTEN. NÃO TÊM LACTOSE. NÃO TÊM OVO. SÃO VEGAN!

Deixo-vos a receita, claro. Mas atenção que devem cantar como eu, é o ingrediente principal! 

Ingredientes (12 a 14 unidades):

– 250g curgete
– 220g farinha de aveia
– 1/2 🥄 de sopa de fermento em pó
– 1 🥄 de café de curcuma
– 1 🥄 de sopa de linhaça triturada
– 5 🥄 de sopa de água
– 1/2 chávena de azeitonas pretas picadas – opcional

Programei o forno a 180 graus.
Lavei a curgete, ralei-a e escorri o excesso de líquido usando uma toalha de cozinha.
Hidratei a linhaça com a água durante cerca de 5 minutos.
Depois, amassei todos os ingredientes, tendo o cuidado de deixar para o fim o fermento e as azeitonas.
Moldei bolinhos que assaram num tabuleiro forrado com papel vegetal, cerca de 20 minutos (ou até ficarem dourados).

Aprovam?

Bom dia, ternuras!

Deixo-vos a receita deste bolo Vegan e Sem Glúten.

Ingredientes (1 unidade) – para partilhar!
– 1/2 chávena flocos de aveia
– 1/2 chávena bebida de soja
– 1/2 banana madura
– 1 🥄 de sopa manteiga de amendoim
– qb canela
– 1 🥄 de café de fermento
– 1/3 chávena mirtilos
– 1 🥄 sopa sementes de chia
– 10g chocolate +70% cacau

Programei o forno a 180 graus.
Num liquidificador bati a banana com a aveia, a bebida de soja, a manteiga de amendoim e a canela até obter uma mistura homogénea. Misturei o fermento.
Entretanto, envolvi a chia com os mirtilos.
Dispus numa forma pequena cerca de 3/4 da massa, os mirtilos e, por cima a massa que restou.
Polvilhei com o chocolate picado e levei ao forno cerca de 20 minutos (basta fazer o teste do palito).
Pode saborear morno ou  deixar arrefecer.

É só delicioso!

É claaaaaaaaaaaaro que vos dou a receita do bolinho com que vos despertei hoje! E faço-o num vídeo com um som que transparece muita alegria na Cozinha com Coração.

Bolo de maçã (média 4 porções) 

– 1 ovo
– 1 maçã
– q.b. sumo de limão
– 1 iogurte natural sem lactose ou “iogurte de soja” natural
– 150g farinha sem glúten autolevedante
– 2 🥄 de sopa de açúcar amarelo
– q.b. compota de morango para servir

Lavei, descasquei e fatiei a maçã que envolvi em sumo de limão para não oxidar.
Bati o ovo com o açúcar e o iogurte. Envolvi a farinha e por fim, a maçã.
Programei o forno a 180 graus.
Transferi a massa para uma forma untada e levei ao forno cerca de 30 minutos (basta fazer o teste do palito).

 Entretanto preparei a compota: levei ao lume um tacho com 200g de morangos, algumas gotas de sumo de limão e um pedaço da casca da maçã.
Deixei cozinhar em lume brando até os morangos se desfazerem e a compota engrossar. Tirei a casca de maçã e deixei arrefecer.

Notas: se não têm intolerância à lactose podem usar iogurte natural e se não têm intolerância ao glúten podem usar farinha de trigo ou uma mistura – não esqueçam o fermento

Fica a pergunta: agora que já têm a receita, vão fazer?

Vamos preparar o nosso primeiro FERMENTADO?

É pão.

Fazer pão é uma arte!

– Utilizam-se ingredientes simples: farinha e água e transformam-se num produto essencial.

– Para fermentar cereais é preciso demolhá-los (em água sem cloro, pois este mata os microorganismos responsáveis pelo processo).

– As culturas de microorganismos necessárias para a fermentação existem naturalmente nos grãos.

 E agora vamos lá pôr a mão na massa para preparar Pão de trigo sarraceno e aveia!

Ingredientes:
– 200g trigo sarraceno
– 100g aveia em grão
– q.b. água
– 1 colher de café de sal
– q.b. sementes

Lavei e deixei de molho o trigo sarraceno e os grãos de aveia durante a noite (ou 12 horas). Escorri muito bem.
Bati no liquidificador com 200ml de água e sal (se a massa estiver demasiado dura, adicione um pouco mais de água).
Deixei fermentar durante 24h ( a temperatura ambiente estava entre 18 e 20 graus).
Pode-se fazer pão ou panquecas com esta massa.
Para preparar o pão: unta-se uma forma ou formas pequenas, com azeite (pode polvilhar com sementes de papoila ou de sésamo), deixa-se levedar mais 1 ou 2 horas e cozinha-se no forno a 180°, cerca de 20minutos. Este pão pode ficar frágil, deixe arrefecer um pouco na forma antes de retirar.

Notas:
🥞 Para preparar panquecas: volte a bater juntando mais água para que a massa fique com a consistência certa. Cozinhe porções numa frigideira antiaderente.

Pode utilizar apenas trigo sarraceno, ou pode substituir a aveia por outros cereais em grão ou quinoa.

Também podem ver a receita na NiT, clicando AQUI.

E aqui está a terceira receita com grão-de-bico: uma pizza. A sua base foi preparada com esta leguminosa e tem mais proteína do que as bases de pizza convencionais, preparadas com trigo.

Podem variar muito a cobertura e conseguir pizzas que vão de encontro aos vossos gostos…

Aqui fica a receita:

 Precisam de

– 250g grão-de-bico cozido
– 2 🥄 de sopa de linhaça triturada
– 3 🥄 de sobremesa de azeite

– q.b. tomate
– 1 🥄 de sopa de azeite
– 2 dentes de alho
– 150g espinafres
– 2 🥄 de sopa de queijo ralado

 E vamos lá

Processei o grão-de-bico com 3 colheres de sobremesa de azeite e linhaça triturada. Reservei no frigorífico pelo menos 20 minutos antes de usar.
Programei o forno a 180 graus.
Num wok deitei o restante azeite, o alho picado e os espinafres em pedaços. Deixei cozinhar até ficarem a gosto.
Estendi a massa de grão sobre papel vegetal, dispus o tomate picado, polvilhei com queijo e levei ao forno até cozinhar (cerca de 25 minutos, ou até as bordas da massa começarem a corar).
Retirei do forno, dispus os espinafres e um pouco mais de tomate cru.

O que acham?

Bom dia, olhinhos brilhantes!

Tenho andado com vontade de comer algo muito crocante. É verdade que as Bravas e Bravinhas (crackers da minha linha) funcionam, mas confesso que tinha vontade de comer algo diferente. Se vos confessar que estive para mandar vir batatas fritas, entenderão…

Foi então que falei com o meu querido Diogo, que me deu esta sugestão: NACHOS SEM GLÚTEN. O Diogo contou-me que adaptou uma receita de tostinhas que já faziam antes em sua casa e decidiu experimentar com farinha sem glúten.

Deixo-vos a sua receita destes “nachos”:

-8 ? de sopa de farinha de milho
-4 colheres de sopa de farinha de linhaça
-8 ? de sopa de água fria
-5 ? de sopa de azeite
-1 colher de chá de curcuma (opcional)
– 1 ? de sobremesa de sementes de girassol(opcional)
-1 ? de chá de tomilho (opcional)

Podemos escolher, para juntar à massa, os temperos e sementes de que mais gostarmos! O Diogo já fez com  manjericão, com sementes de chia, com alho em pó ou até piri piri, para um snack diferente.

Juntou todos os ingredientes num processador e misturou até ficar uma massa homogénea. Também podemos ligar todos os ingredientes num recipiente, até obtermos a massa.
Dividiu a massa em 5 partes, formou bolinhas e esticou cada uma com o rolo da massa e colocou num tabuleiro forrado com papel vegetal. Esticou a massa com o rolo, até ficar com uma camada muito fina, que cortou em rectângulos, com uma faca.

Levou o tabuleiro ao forno, a 200°c,  8 minutos, até a massa ficar cozida. Convém ir vigiando, porque a massa é muito fina, e não pode cozer demais.
Ao retirar, deixei arrefecer até ficarem crocantes. Repeti o processo todo até cozer as tostinhas todas com a massa que preparei.

O que acham?

Devem guardar-se numa caixa hermética para se manterem crocantes.
“São incríveis! Como-as ao pequeno  almoço, ou snacks! Ficam bem com tudo! Substituem as bolachas de milho que costumo comer. Adoro com Guacamole, tomate, ovos mexidos, mas já experimentei com muitas outras combinações.
A única coisa difícil e menos boa da receita, é mesmo conseguir que as tostas durem mais que 3 dias! Cá em casa, é quase impossível!”, confessa o Diogo.