Author

Ana Bravo

Browsing

Quem desse lado não gosta de petiscar? De ir trincando, tantas vezes perdendo a noção da quantidade que comemos… Mas temporariamente alegres pelo momento de prazer que nos proporciona.

Será possível petiscar “sem culpa, com sabor”? Claro que sim!

Temos outras opções, que imediatamente reconhecemos como menos calóricas e cheias de vitaminas, minerais, fibra, bastante água, tais como tiras de cenoura, de beterraba, de pepino… Também é agradável juntar uma colher de chá de azeite a 1 iogurte natural magro, mais umas ervas aromáticas ao gosto de cada um e servir de topping para os palitos de legumes.

Sem mais demoras e sem me dispersar mais -sou perita nisso! – hoje vamos falar de 3 petiscos dos mais típicos: TREMOÇOS, AZEITONAS E AMENDOINS.

Os valores nutricionais que vos apresento na imagem são por 50g, a quantidade que está em cada um dos 3 pratos. Percebemos que os amendoins são os que têm maior quantidade de gordura e também de proteína, pelo que têm também maior valor calórico. Dos 3 petiscos apresentados são os tremoços os menos calóricos, com uma boa quantidade de proteína e “no meio” estão as azeitonas.

Os tremoços aliam esse mais baixo valor calórico a uma quantidade interessante de proteína, o que os torna bastante saciantes.

Nenhum é melhor que o outro, até porque são alimentos diferentes: os tremoços fazem parte do grupo das leguminosas, os amendoins são oleaginosos e tal como as azeitonas entrariam no grupo das “gorduras” na Roda dos Alimentos.

Com conta, peso e medida.
Com equilíbrio.
Variando.
E assim podemos, de vez em quando petiscar!

Aqui fica mais uma receita vegan das boas, com o toque da mãe Bravo!

Cebola e alho picados entram num tacho com azeite e louro. Assim que a cebola fica translúcida juntamos pedaços de tomate e pouco depois a couve cortada, as cenouras em rodelas, curgete… Os legumes que tiverem. Deixa-se cozinhar, para tal, sem pre que necessário, vamos acrescentando pequeninas quantidades de água já quente. Quando os legumes estão quase cozidos juntamos o feijão e deixamos apurar, em lume brando. É então que entra a malagueta e corrigimos os temperos.

Uma aletria com o mesmo sabor e um terço das calorias para a nossa Kiki!

Original: 426kcal
Receita da Kiki: 167kcal

E quem não quereria a receita?
Está entre 2 fórmulas especiais criadas com todo o carinho durante a nossa infância: as de ambas as avós da Kiki – entre elas a nossa avó Luz (minha adorada ama).

Diz o episódio especial do Canal Nutrição com Coração do Jornal de Notícias:

“Ana Bravo foi desafiada a recriar, de forma saudável, as sobremesas preferidas da equipa Nutrição com Coração. A nutricionista preparou uma aletria – a sobremesa de eleição da melhor amiga Kiki – com um terço das calorias.”

É verdade! Um terço das calorias relativamente à receita original!

Então aqui fica a versão de ALETRIA da Kiki:

Ingredientes (4 porções)
– 100g aletria
– 400ml água
– 50g geleia de agave
– 100ml leite magro
– 2 gemas
– 1 pau canela
– 1 casca limão
– q.b. canela em pó

Levar ao lume a água com a geleia de agave, o pau de canela e a casca de limão.
Quando ferver, juntar a aletria (partida) e deixar cozer em lume brando até toda a água evaporar.
Bater as gemas com a bebida vegetal e envolver na aletria, mexendo até voltar a ferver.
Tirar o pau de canela e a casca de limão, colocar numa travessa e polvilhar com canela em pó.

Sugiro que vejam o vídeo completo no Canal – deixo o link: Uma aletria com o mesmo sabor e um terço das calorias (jn.pt)

Então esta receita começa com aqueles olhinhos avelã esverdeados a olhar para mim vim ar de caso: “Cebola, bastante. Uma boa camada! Mas bastante mesmo, porque não leva água, Ana. Estás a apontar?” Com umas folhinhas de louro. Entra uma camada de batatas cortadas às rodelas. Diz a mãe Bravo que “não podem ser muito fininhas senão desfazem-se”. Depois uma camada de tofu esfarelado com os dedos e a última é mais uma camada de batata, com salsa. “Quem gostar pode juntar umas tirinhas de pimentos e malagueta, eu não tinha porque te esqueceste de comprar.” – Pois claro, eu esqueci! – “E claro, rega-se com azeitinho.” Termina de dizer isto é olha como ar malandro, à espera que eu refile e baixe a quantidade de azeite para 1 colher de sopa por pessoa. Aproveita o meu silêncio e continua: “Ana, agora escreve assim: nota, coze em lume muito brando.” E depois? – pergunto. “Depois vai-se sacudindo o tacho de vez em quando, não se tira a tampa para mexer, para não saírem os vapores que dão mais sabor. E está pronto, com sabor, saúde e amor!