Abrimos o coração para falar de espiritualidade?


Mais uma vez, dispo-me e mostro exactamente a minha essência, o que me move. Falo das minhas crenças e conto a minha história na tentativa de ajudar outras pessoas. Como vos disse várias vezes, considero que expormos as nossas aparentes fragilidades não nos vulnerabiliza, só nos torna mais fortes, porque outros se revêm na nossa história. E falar sobre o que sinto, agora, com a redescoberta da espiritualidade, é mais uma benção.
O depoimento do Professor Miguel Mota Carmo será certamente muito, muito interessante: “A medicina e a ciência não explicam tudo o que me aconteceu”.


A forma de viver, a este nível, da Fátima Lopes , da minha Cuca Roseta e do António Zambujo são pontos chave neste contexto.
A forma como cada um vê e sente a espiritualidade é um tema a expor, cada vez mais. 


Se não viram o programa “Linha da Frente” – O ECO DA ALMA, na RTP (mais um trabalho incrível da jornalista Mafalda Gameiro), podem ver clicando no link abaixo.

https://www.rtp.pt/play/p8165/linha-da-frente?fbclid=IwAR0WIZKGhRlVCPc6QwkLZ0eZCIlyeE9A3BqnITmTxNG67PReCDA1BgfyjV8

Ana Bravo
Author

Nutricionista: amante do tipo de cozinha que procura aliar saúde aos melhores sabores; Mulher: apaixonada pela verdadeira beleza das coisas mais simples; Objectivo: ser feliz na medida do possível, gostar de mim todos os dias e ajudar quem me segue, nesse mesmo caminho.

Write A Comment