As recentes declarações do Diretor-geral da Saúde vêm reforçar aquilo já tem sido descrito em diversos estudos nacionais e internacionais:
1. Aalimentação é um dos fatores mais determinantes no estado de saúde e doença das populações.
2. Os principais erros nutricionais dos portugueses são o consumo excessivo (mais do dobro do recomendado) de:
a) sal e produtos salgados;
b) açúcar e produtos açucarados;
c) gordura saturada.
3. Os erros alimentares aumentam não só o risco de doença, mas diminuem a esperança média de vida, a qualidade de vida e o número de anos que vivemos livres de doença.
Assim, controlar a epidemia da obesidade não é o único problema em que se deve investir o tempo e dinheiro dos contribuintes: a hipertensão, a diabetes merecem também um destaque muito importante!
Importa ainda referir que a prevenção faz-se a longo prazo. Tudo o que fizermos agora vai-se refletir na nossa saúde daqui a várias décadas. É por isso necessário ser paciente e persistente, e acreditar que estamos no fundo a preparar um futuro melhor para as próximas gerações e tentar dar um pouco mais de qualidade de vida às atuais gerações.
Leia a notícia completa, aqui.
Ana Bravo
Author

Nutricionista: amante do tipo de cozinha que procura aliar saúde aos melhores sabores; Mulher: apaixonada pela verdadeira beleza das coisas mais simples; Objectivo: ser feliz na medida do possível, gostar de mim todos os dias e ajudar quem me segue, nesse mesmo caminho.

Write A Comment