Como definir liberdade? Para mim, não há definição mais fiel do que a que sinto quando ando de mota…

Tal como escreveu Cecília Meireles “liberdade” é uma palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.

Todos sentimos tantas, tantas vezes, vontade – senão mesmo necessidade – de nos sentirmos livres. É exactamente o que sinto em cima de uma mota: liberdade pura! Quem já experimentou seguir sem rumo sobre um motor em duas rodas, sabe do que falo.

O primeiro sentimento que me invadiu quando tive a primeira experiência foi algo parecido com medo, mas muito facilmente me rendi à tal sensação de liberdade que consigo descrever mas não definir. Ia atrás, num final de tarde quente, fechei os olhos e imediatamente a ausência de imagem para eles, deu asas a um sem número de imagens na minha mente. A brisa tocava-me no corpo e beijava-me a pele do rosto, das mãos… Parecia-me que voava!
Enquanto seguimos nesta viagem, a cabeça fica leve, o corpo perde o peso… Tudo se transforma num mundo interior leve e somos nós quem escolhe as suas cores.
Como vêem, consigo descrever, mas não definir – repito. É algo que cada um sente de forma diferente, mas creio que há um sentimento comum, de que vos falo aqui: a tal sensação de liberdade!

Como disse, todos precisamos de momentos de liberdade, seja a andar de mota, a dançar, a dar um grito bem alto, a cantar, a correr… Fazem parte do nosso equilíbrio e devemos procurá-los. Seremos, seguramente, mais felizes!
Somos livres quando deixamos aquele pensamento que nos vem massacrando há dias e dias, tentando encontrar uma solução que não depende de nós. Somos livres quando deixamos de dizer “sim” contrariados.
Somos livres quando damos a nossa opinião, mesmo que saibamos que vai contra a de outros, mesmo daqueles que amamos. Somos livres quando não queremos controlar tudo. Somos livres quando não temos que sorrir para quem não gostamos. Somos livres quando fazemos o que amamos. Somos livres quando deixamos fluir. Somos livres quando permitimos que a vida aconteça, simplesmente!

Ana Bravo
Author

Nutricionista: amante do tipo de cozinha que procura aliar saúde aos melhores sabores; Mulher: apaixonada pela verdadeira beleza das coisas mais simples; Objectivo: ser feliz na medida do possível, gostar de mim todos os dias e ajudar quem me segue, nesse mesmo caminho.

Write A Comment